Analiticamente Incorrecto
2005/11/22
  Nação ou não são
Por terras de Espanha, o processo de autonomia catalã, continua na manchete política. Segundo me apercebi o termo nação catalã, está a dividir as hostes em moncloa.
O parlamento catalão já se mostrou irredutível (qual aldeia gaulesa) na substituição da expressão. Zapatero, aprisionado às promessas pré-eleitorais bem tenta fazer de conta que nada muda no estatuto das autonomias, no entanto os exemplos que vêm mais do norte em especial do País Basco e de Navarra, são demonstrativos de que tudo se altera, não é uma mera questão de semântica, mas claramente o desmembramento de uma nação sólida.
Veja-se qual a importância que as decisões tomadas em Madrid têm para a vida quotidiana nas chamadas comunidades de primeira (Pais Basco e Navarra). Um exemplo, Madrid decidiu ligar a cidade de Huesca (Aragão) a Pamplona (Navarra) por auto-estrada, ou via rápida (aconselho vivamente fazerem esta ligação pela nacional, a vista sobre o ebro é lindíssima, mas, a economia não sobrevive só de belos passeios). O parlamento navarro decidiu um ano após Madrid, efectuar a mesma via. Hoje a auto pista que vem de Pamplona já está em fase terminal, financiada por capitais da comunidade, a outra parte que sai de Huesca, que é financiada pelo estado espanhol terminando na “fronteira” com Navarra ainda nem sequer começou. Como este há muitos outros exemplos que nos permitem verificar que as autonomias são benéficas para muitos casos, mas, e é um enorme mas, dá-nos um sentimento de estarmos em países diferentes. Outro exemplo que vos posso dar aconteceu num restaurante em Huesca, a pluralidade de culturas dentro de Espanha é enorme, numa mesa ao lado três convivas falavam em basco, numa outra era a língua catalã que imperava, o diligente empregado de mesa sugeria os pratos misturando alguns vocábulos de catalão ou de basco, curiosamente todos os pratos sugeridos eram diferentes, conforme de que zonas eram originários os comensais. Sociologicamente poderá parecer muito rica esta interacção de diferentes culturas, na realidade é demonstrativa da profunda divisão que existe.
Um sistema de autonomias alargadas, ficando estas com o poder político, judicial, educacional e em especial a gestão das verbas referentes aos impostos e contribuições recebidos na região, vai claramente dividir um país em algumas pequenas nações. A história ensina-nos o quanto difícil é unir e o quão fácil é destruir esse esforço. Ainda hoje, Breogão é o herói nacional dos galegos, que Eduardo Pondal prega no seu poema para que Galiza acorde do seu sonho, que não esqueça nunca as injúrias às que foi submetida debaixo do domínio castelhano e que escute a voz dos pinheiros rumorosos, que não é mais que o próprio povo galego.
Solbes já avisou que deverá o sistema aprovado ser extensível a todas as comunidades. Mais do que um aviso é claramente um alerta a Zapatero para que este use o "Talento" que tão profusamente disse possuir no seu discurso de tomada de posse.
Esperemos então.
 
Comentários:
Concuerdo con sus sagaces comentarios. Consejo gastronomico: me han dicho que en Guetaria (Vascongadas) el pescado es fenomenal y lo cocinan bien.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Qualquer análise tem um ponto de vista incorrecto, mesmo não demonstrado, mesmo sem formas de entendimento.

A minha fotografia
Nome:
Localização: Alenquer/Loures/Lisboa, Estremadura, Portugal
Arquivos
Abril 2005 / Agosto 2005 / Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Setembro 2006 / Dezembro 2008 /


Powered by Blogger

Subscrever
Mensagens [Atom]